Você Sabia?

Você Sabia?

10 coisas que os pais não deveriam fazer por seus filhos

Às vezes, os pais ajudam demais os filhos. Os adultos não podem viver a vida de seus filhos para eles. Nossa tarefa é ajudá-los a crescer e ganhar sua própria experiência, e é importante não exagerar. Juntamos algumas coisas que nunca devemos fazer por nossos filhos. Leve essas coisas em consideração, e seus filhos vão agradecer.

1. Falar por eles

Tudo começa com aqueles momentos felizes quando uma criança pequena é perguntada: “Oh, como você se chama?”. E nós, os pais, queremos responder, “É Jason”. Seria bom se esse hábito terminasse quando uma criança aprende falar. Mas não, conseguimos dar respostas mesmo para as nossos filhos adolescentes em todos os lugares: nas lojas, em casa e em outros lugares.

E o que temos no final? Nós tiramos dos nossos filhos a chance de responder por si mesmos. Você pode dar uma dica a uma criança sobre o que dizer se ela pedir a você. Mas você definitivamente nunca deve falar por ela.

O que fazer? Na próxima vez em que você quiser falar por seu filho, tente se conter. Deixe-os falar por si mesmos. 

2. Ser seu amigo

Muitos pais tentam se tornar amigos de seus filhos, e eles não querem que seus filhos mantenham segredos deles. Podemos entender facilmente por que os pais querem isso, mas vamos tentar ver isso um pouco mais a fundo. O que é um amigo? É uma pessoa com quem você pode conversar em termos iguais. Sim, você pode dizer algo a um amigo.

No entanto, os pais têm um papel diferente: eles se importam conosco e nos amam. Não há necessidade de tentar serem amigos muito próximos. Deixe as crianças procurarem seus próprios amigos entre pessoas da sua idade. Mamãe e papai estão lá para quando as crianças precisam de amor e apoio.

O que fazer? Diga não para um relacionamento muito próximo. Aprenda a apoiar e respeitar um ao outro. 

3. Querer vs precisar

 

Sabemos muito bem que o brócolis é muito mais saudável que o doce e que os novos tênis são mais úteis do que as bonecas. Então, ditamos aos nossos filhos (às vezes o escondemos, às vezes não) o que eles deveriam querer. É como a piada, “Mãe, estou com fome?”. “Não, você está com frio e quer estar em um lugar quente”.

A que essas coisas levam? Elas suprimem o “eu” de uma criança, seus desejos e seus objetivos. Essas coisas também levam a ser uma vítima sem culpa ou mesmo a uma rebeldia contra todos.

O que fazer? Busque as necessidades e desejos da criança. Se você precisa ensinar-lhes bons hábitos, não faça isso de forma violenta. Faça-o sem problemas.

4. Ajudá-los demais

As crianças de 2 e 3 anos de idade já podem colocar e tirar roupas sozinhas, lavar copos e colocar roupas sujas na máquina de lavar. Mais do que isso, nesta idade, as crianças realmente querem fazê-lo sozinhas.

E o que fazemos? Nós os vestimos quase até eles se casarem. Nós apoiamos esse comportamento com o argumento “Ele não consegue fazer!”. Nós os alimentamos, nós não os deixamos fazer isso sozinhos, e não os deixamos experimentar. E mais tarde, ficamos surpresos quando um adolescente é desorganizado ou não quer ajudar sua mãe.

O que fazer? Deixe a criança fazer o máximo possível por si só. 

5. Escolher seus gostos

Muitas vezes tentamos impor nossos gostos musicais, preferências de livros e estilos de roupas aos nossos filhos. É com boas intenções, mas diminui a individualidade de uma criança. E, em muitos casos, leva a um protesto onde as crianças fazem o completo oposto.

O que fazer? Assista seus filmes favoritos e ouça a música que gosta você mesmo. Discuta seus ídolos com seus filhos.

6. Contar o dinheiro deles

Na vida de cada criança, chega um momento em que eles têm seu próprio dinheiro para gastar. O que você não deve fazer é interrogar crianças e tentar descobrir quanto dinheiro elas têm sobrando. A pior coisa que você pode fazer é verificar suas bolsas ou bolsos. Isso mata a confiança instantaneamente.

Será que realmente importa quanto dinheiro o seu filho ou filha têm? Deixe-os economizar por algo que desejam.

O que fazer? Ensine seus filhos a ter sucesso financeiro e deixe-os fazer o que eles quiserem com seu dinheiro. 

7. Escolher seus hobbies e interesses

A mãe quer que sua filha toque violino e está disposta a levá-la do outro lado da cidade para a escola de música três vezes por semana. E papai quer que seu filho jogue futebol todas as noites. E os pais muitas vezes inconscientemente tentam impor um hobby a seus filhos.

O que fazer? Seja paciente e veja seus filhos. Note seus interesses e inclinações. Pergunte o que eles gostam, e então deixe-os desenvolver neste campo.

8. Tratar os sucessos deles como seus

“Insta-mães” atenciosas postam muitas fotos e escrevem: “Nós comemos!”, “Nós começamos a andar!”. E assim por diante. Claro, elas apoiam seus filhos, mas, ainda assim, estes não são os sucessos das mães – são dos filhos! Quem é “nós”?

E quando as crianças crescem, as coisas ficam ainda mais graves. Mães e pais começam a contar sobre como seus filhos terminaram a faculdade e encontraram empregos. E eles fazem isso como se esses fossem seus méritos apenas. É fácil entender o quanto os filhos odeiam isso.

O que fazer? Seja feliz pelos sucessos de seus filhos, mas não os confunda com os seus. 

9. Escolher seus presentes

Quando uma criança já pode falar, ela tem o direito de escolher o que quer como presentes. E não precisa ser outra camiseta ou um brinquedo que irá desenvolvê-la educacionalmente.

Claro, nem sempre é possível deixá-los escolher. Mas isso dá às crianças a coisa mais importante: a capacidade de escolher, tomar decisões e enfrentar as consequências. Tais habilidades nunca irão prejudicar na vida adulta.

O que fazer? Deixe seu filho escolher os presentes que ele quer.

10. Intrometer-se em suas vidas pessoais

Isso é especialmente verdadeiro para os pais de adolescentes. Os filhos têm seus próprios amigos e primeiros encontros. É normal e absolutamente natural. Um interrogatório de “Quem é essa pessoa?” só deixará seu filho irritado. Muitos filhos vão compartilhar essas coisas pessoais com seus pais, se eles se sentirem seguros.

O que fazer? Em vez de interrogar seu filho, deixe-o ter seu próprio espaço privado. Não faça muitas perguntas se você vir que eles não querem compartilhar detalhes. E, claro, nunca leia secretamente as mensagens dos seus filhos.

Que segredos parentais você conhece? Compartilhe-os na seção de comentários abaixo!

CONTINUAR LENDO

Posts relacionados