Você Sabia?

10 fatos psicológicos que revelam muito sobre nós

Curiosidades 07 janeiro 2018 Postado por:

Ao longo dos anos, os cientistas descobriram muitos dos mistérios e falhas do cérebro humano escondidos de forma segura em nossa psiquê. Hoje, convidamos você a uma jornada dentro de sua própria cabeça para descobrir o que faz sua consciência funcionar.

1. Estamos constantemente alterando nossas memórias

Tendemos a ver nossas memórias como pequenos filmes ou videoclipes. Coisas que ficam em uma “prateleira” dentro do nosso cérebro, segura e inalterável. Mas, na verdade, as lembranças de eventos passados mudam cada vez que passam diante dos olhos de nossa mente.

Seu conteúdo é influenciado por apagões da memória e por eventos que tiveram lugar no passado mais recente. Por exemplo, você não tem lembranças claras de todas as pessoas que participaram de uma reunião familiar há alguns anos, mas como sua tia nunca perde eventos desse tipo, sua mente eventualmente a inclui nas memórias – mesmo se ela estava ausente nessa ocasião particular.

2. Só podemos ter um número limitado de amigos

Psicólogos e sociólogos criaram algo chamado de número de Dunbar – o número máximo de pessoas com quem uma pessoa pode manter laços íntimos. Então, mesmo se você tiver milhares de “amigos” no Facebook, você só pode ter uma comunicação significativa com 50-200 delas.

3. Nos sentimos mais felizes quando estamos ocupados

Imagine que você está no aeroporto e você precisa pegar a bagagem. Em dez minutos, você alcança a área de reivindicação e recolhe imediatamente sua mala.

E agora, uma situação ligeiramente diferente. Você encontra um atalho e consegue chegar ao carrossel de bagagem em apenas dois minutos. Então, você gasta os oito minutos restantes esperando que sua mala apareça.
Em ambos os casos, você não levou mais de dez minutos para pegar a bagagem. No entanto, no segundo cenário, você provavelmente se sentiu mais impaciente e insatisfeito. Isso se deve ao fato de que nosso cérebro não gosta de estar ocioso e prefere ficar ocupado. E, para cada tarefa concluída, recompensa-nos com dopamina, o hormônio da felicidade.

4. Podemos memorizar apenas 3-4 coisas por vez

Estudos mostram que nosso cérebro não consegue armazenar mais de 3-4 informações ao mesmo tempo. Além disso, essa informação só pode ser preservada por 20 a 30 segundos. Após esse tempo, nós esquecemos, a menos que continuemos atualizando-a em nossa memória frequentemente.

Por exemplo, você está dirigindo e falando ao telefone (não faça isso!). A pessoa no outro lado dá-lhe um número, mas você não pode anotá-lo para tentar memorizar. Você repete o número uma e outra vez, de modo a preservá-lo em sua memória de curto prazo até que você possa anotá-lo.

A propósito, o fato de acharmos mais fácil lembrar 3-4 peças de informação ao mesmo tempo explica por que tantas coisas consistem em 3-4 dígitos ou linhas. Isso se aplica aos números de telefone e cartão de crédito e até ao parágrafo que você está lendo!

5. Nossa percepção visual das coisas difere de sua aparência real

Nosso cérebro processa constantemente a informação recebida dos órgãos sensoriais. Analisa imagens visuais e interpreta-as de uma forma acessível a nós.

Por exemplo, o motivo para que possamos ler um texto rapidamente reside no fato de que na verdade não estamos lendo-o. Nós simplesmente percebemos as primeiras e últimas letras de cada palavra, e preenchemos intuitivamente o resto, com base em nossa experiência passada. Como diz o ditado: “Não improta em que odrem as lertas apraecem em uma pavlara dedse que a pirmeira e a úlitma esetjam no lguar”.

Viu? Olhamos para grupos de letras embaralhadas, mas as percebemos como palavras corretas! E isso não acontece apenas com texto.

6. Nós gastamos 30% do nosso tempo sonhando acordados

Imagine que você está no trabalho estudando um documento importante. De repente, você percebe que acabou de ler a mesma frase três vezes seguidas. Em vez de analisar o texto, sua mente estava vagando.

Cientistas da Universidade da Califórnia dizem que todos os dias gastamos 30% do nosso tempo sonhando acordado. Às vezes (por exemplo, durante viagens longas), essa divisão aumenta para até 70%, mas não há nada de errado nisso. Estudos mostram que as pessoas que gostam de vagar nas nuvens tendem a ser mais criativas. Além disso, eles são melhores para resolver problemas e se livrar do estresse.

7. Não podemos ignorar 3 coisas na vida: comida, sexo e perigo

Alguma vez você já se perguntou por que as pessoas sempre param para olhar o resultado de um acidente rodoviário? Mesmo que os espectadores achem a visão angustiante, eles continuam a olhar.

Essa curiosidade é desencadeada pelo nosso “cérebro antigo” – uma seção responsável pela sobrevivência. Sua função é escanear constantemente o meio ambiente, fazendo (e respondendo) três perguntas: “Posso comer isso? Posso fazer sexo com isso? Posso ser morto por isso?” A comida, o sexo e o perigo ainda são as coisas fundamentais para a nossa vida, por isso não podemos deixar de prestar atenção neles.

8. Precisamos de tantas escolhas quanto possível

Como parte de um estudo recente, cientistas organizaram duas mesas em um supermercado. Na primeira mesa, eles colocaram 6 tipos de geleia, na segunda, 24. Como resultado, 60% dos clientes pararam para provar geleias na mesa nº 1. No entanto, quando se tratava de fazer compras, a mesa nº 2 se provou 4 vezes mais popular.

Por que isso aconteceu? Como já sabemos, nosso cérebro só pode se concentrar em 3-4 coisas de cada vez. Portanto, tomar decisões finais é mais fácil quando há um número limitado de opções (ou seja, 6 tipos de geleia).

No entanto, sempre desejamos variedade. Nós adoramos navegar por uma ampla gama de produtos – é por isso que é mais provável que paremos na mesa com 24 tipos de geleia (embora, no final, ainda vamos para a mesma marca que compramos muitas vezes antes).

9. A maioria de nossas decisões são inconscientes

Gostaríamos de acreditar que todas as nossas ações são resultado de um planejamento cuidadoso, mas, na realidade, 60 a 80% das nossas decisões cotidianas são feitas subconscientemente. Nós não pensamos em fazer essas coisas, nós apenas as fazemos.

A cada segundo, nosso cérebro recebe milhões de unidades de dados. Para evitar o excesso de exaustão, parte do trabalho é relegado para o subconsciente. Guardar as chaves, desligar as luzes, fechar a porta da frente – realizamos tais ações automaticamente, sem pensar.

A desvantagem é que isso muitas vezes leva a dúvidas. Por exemplo, quando chegamos ao escritório e, de repente, começamos a nos preocupar se desligamos ou não o ferro.

10. Não existe multitarefa

Estudos mostram que só podemos realizar uma atividade cognitiva de cada vez. Tente conversar e ler de uma só vez ou escrever uma carta enquanto escuta um audiolivro. Muito provavelmente, nada de bom virá disso – nosso cérebro simplesmente não pode se concentrar em duas tarefas simultaneamente.

No entanto, há uma exceção. Se a segunda atividade é puramente física e automática (o tipo de coisa que realizamos no dia a dia), então é possível combinar ambas as tarefas. Por exemplo, você pode falar ao telefone enquanto caminha. Mas, mesmo assim, há uma boa chance de tropeçar e perder o controle da conversa.

Qual fato foi o mais surpreendente para você? Compartilhe nos comentários!

Fonte:

BrightSide

Posts relacionados