Você Sabia?

Você Sabia?

10 mistérios escondidos em pinturas famosas

A arte não é apenas uma fonte de inspiração, mas também um grande mistério. Os artistas muitas vezes adicionam pequenos detalhes curiosos em suas pinturas ou deixam mensagens que são impossíveis de notar à primeira vista. Juntamos algumas obras-primas de pintura com segredos inesperados. Se você chegar ao final do artigo, há um bônus esperando por você: uma das teorias mais estranhas sobre a Mona Lisa.

10. A orelha errada

O auto-retrato de Vincent Van Gogh com uma orelha enfaixada retrata o artista com a orelha direita ferida. Na realidade, a orelha que ele cortou durante um ataque de raiva foi a esquerda. A discrepância é explicada pelo fato de que Van Gogh usou um espelho para criar a imagem de si mesmo.

9. A pintura na pintura

Se você olhar atentamente para obra O Velho Guitarrista Cego, de Pablo Picasso, você pode ver uma silhueta feminina em baixa opacidade atrás da cabeça do homem. Depois de tirar raios-x da pintura, pesquisadores do Art Institute of Chicago descobriram algumas outras formas escondidas embaixo. Muito provavelmente, o artista não tinha dinheiro suficiente para comprar novas telas e teve que pintar sobre as antigas.

8. A Ronda Noturna foi retratada durante o dia

Durante a restauração da pintura de Rembrandt que retrata Frans Banning Cocq e Willem van Ruytenburch, mais conhecida como A Ronda Noturna, em 1947, foi limpa uma camada grossa de fuligem. Depois disso, tornou-se evidente que a cena retratada na pintura não ocorre à noite, mas à luz do dia.

7. O código anatômico da Capela Sistina

Uma imagem do cérebro humano é discernível não só na Criação de Adão por Michelangelo, mas também em outra pintura da Capela Sistina: a Separação da Luz e da Escuridão. Olhe para o pescoço de Deus: se você sobrepor em uma foto do cérebro humano como visto acima, você terá uma sobreposição perfeita das linhas.

6. O símbolo da força

As imagens de Davi e Golias em outra pintura da Capela Sistina criada por Michelangelo, formam a letra hebraica gimel, que simboliza a força na tradição mística da Cabala.

5. Estrabismo de Rembrandt

Margaret Livingstone e Bevil Conway estudaram os auto-retratos de Rembrandt e provaram que o pintor sofria de cegueira estéreo. Essa peculiaridade fez com que o pintor percebesse o mundo de maneira um pouco diferente: ele via a realidade em 2D em vez de 3D. No entanto, é possível que a cegueira estéreo tenha ajudado Rembrandt a criar suas obras-primas imortais.

4. Vingança aos amantes

Uma das pinturas mais famosas de Gustav Klimt retrata Adele Bloch-Bauer. Foi encomendada pelo marido, o barão Ferdinand Bloch-Bauer. Ele descobriu que Adele e Klimt tinham um caso e acreditava que depois de centenas de esboços o pintor viria a odiar sua amante. O trabalho de rotina realmente fez com que os sentimentos entre ela e o artista esfriassem.

3. Previsão do fim do mundo

A pesquisadora italiana Sabrina Sforza Galitzia propôs uma interpretação incomum da Última Ceia de Leonardo da Vinci. Ela tem certeza de que, em sua pintura, o artista deixou uma previsão do fim do mundo, que acontecerá em 21 de março de 4006. Para chegar a essa conclusão, a pesquisadora decifrou o código matemático e astrológico da pintura.

Esse não é o único mistério da Última Ceia. As mãos de Cristo e dos apóstolos, juntamente com os pães sobre a mesa, formam algo que pode ser lido como uma notação musical. Ao testar, soa como uma melodia curta.

2. O mundo em amarelo

Quase todas as pinturas de Vincent van Gogh apresentam um amarelo dominante. O professor Paul Wolf explica isso como um efeito colateral de um remédio de epilepsia que muda a percepção de cor. O mundo do artista poderia realmente parecer da maneira como o vemos em suas telas.

1. Mozart e os maçons

Há evidências sólidas de que Wolfgang Amadeus Mozart era um maçom. Até mesmo em seu retrato infantil de Pietro Antonio Lorenzoni, podemos ver um símbolo maçônico: uma mão escondida que indica um grau hierárquico na sociedade secreta.

Bônus: Mona Lisa sem dentes

O dentista e especialista em arte Joseph Borkowski estudou cuidadosamente a pintura de Leonardo da Vinci e afirma ter revelado o segredo por trás do sorriso de La Gioconda. Ele acredita que ela havia perdido os dentes da frente e isso influenciou sua expressão facial.

CONTINUAR LENDO

Posts relacionados