Você Sabia?

Você Sabia?

Um psicólogo explica por que casamentos tardios são mais felizes que os que acontecem cedo

Todo mundo está à procura de seu amor. Infelizmente, muitos relacionamentos terminam. Isso ocorre porque a pressão dos estereótipos sociais pode tornar-se mais forte do que os desejos reais, e as pessoas se apressam para se casar não para criar uma família, mas por sentimentos passageiros e o medo de ficarem sozinhas. Convidamos você a fazer uma avaliação objetiva de se você está ou não pronto para construir um relacionamento forte usando estes sete fatores.

7. O amor ajuda com o autodesenvolvimento.

Uma pessoa madura nunca deixa de trabalhar em si mesma, e o amor só dá força. Eles não têm medo de mudar seu ponto de vista e estão prontos para admitir suas desvantagens. Eles podem ser compreensivos e atentos. Duas pessoas amorosas sempre tentarão ser melhores para um relacionamento próspero.

Se um parceiro quer que você os aceite como eles são e sugere que você aguente seus maus hábitos, sua relação não se desenvolverá e vocês se tornarão desconhecidos um para o outro. 

6. Antes de qualquer coisa, amar significa dar.

Uma pessoa auto-suficiente não busca inspiração em seu parceiro e não tenta preencher o vazio em sua alma com ele. Tudo é vice-versa: eles tentam compartilhar o que eles têm. As pessoas infantis tentam apenas ser amadas, e não fazem mais esforços para amar. Em seu livro A Estrada Menos Viajada, o psicólogo Morgan Peck chama tal fixação dolorosa de “uma forma de antiamor”.

Não se surpreenda se um parceiro que sempre obtém o que ele quer deixa você sozinho quando você enfrenta problemas. 

5. Um dos principais aspectos do amor é a força de vontade.

Aquelas famosas palavras dos votos matrimoniais que dizem que sempre devemos estar do lado um do outro: na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, e assim por diante. Essas palavras implicam que as pessoas que querem começar uma família entendem que o amor não é apenas sobre sentimentos, mas que é uma decisão comprometida e pensada.

Os componentes de um relacionamento maduro são objetivos comuns, um desejo sincero de estar juntos e focar sua atenção e energia em uma mesma pessoa – mesmo que haja tentações e hesitações.

Se, depois de cada discussão, você embalar suas malas e lembrar do seu ex, você deve pensar em quanto tempo essa relação durará. 

4. O amor é trabalho.

Ser paciente com os hábitos e as características de um parceiro, estar atento… Tudo isso pode soar chato, e é sempre cansativo e de grande esforço, mas é o alicerce de um relacionamento harmonioso. Se você quiser fortalecer seu amor, você deve trabalhar duro.

Se você segurar sua dor, ela pode sair de repente, e seu relacionamento pode ser arruinado.

3. O amor é responsabilidade.

A responsabilidade é uma característica que distingue um adulto de uma criança. Você pode usar o mesmo indicador em relação ao seu relacionamento: é maduro ou não? É ótimo quando você tem alguém em quem confiar, não é? E você está pronto para ser essa pessoa confiável? Sim, esse método implica obrigações sérias, mas também fortalece seu relacionamento e o torna real.

É por isso que, se o seu parceiro diz: “Não há diferença. Não muda nada!”. Pode ser um sinal de que ele não esteja pronto para um relacionamento de longo prazo.

2. Amar significa respeitar a individualidade do outro.

Uma pessoa madura já construiu seus objetivos e se encontrou, e é por isso que eles estão prontos para respeitar os interesses de outra pessoa. Essa relação é livre de pressão: os parceiros dão liberdade um ao outro e sempre tentam alcançar um acordo.

As pessoas que estão apenas preocupadas com seus próprios interesses não estão prontas para ouvir, entender ou admitir nada.

1. O amor não protegerá você de se magoar.

 A mágoa e o desapontamento são coisas normais em nossa vida, e nem mesmo nosso amado ou amada pode nos proteger sempre. Temos que ser corajosos para enfrentar dificuldades, e não devemos reclamar ou culpar ninguém. Nesse caso, o relacionamento será forte e profundo.

Os psicólogos acreditam que, se entendêssemos e aceitássemos esses sete princípios, poderíamos criar um excelente relacionamento. Eles nos aconselham a desacelerar com o casamento se acharmos que nós ou nosso parceiro talvez não estejamos prontos. Você seria melhor dedicar seu precioso tempo aos seus hobbies, sonhos e crescimento pessoal em vez de se recuperar de um término doloroso.

Você concorda com as opiniões dos especialistas? Compartilhe seus pensamentos nos comentários.

Ilustrações por Alena Sofronova

CONTINUAR LENDO

Posts relacionados