Você Sabia?

11 fatos sobre a vida na Idade Média que lançam nova luz sobre a História

Sabemos muito sobre a Idade Média (séculos IV-XV). As cruzadas, as guerras sucessórias, a peste negra e muitos outros fatos interessantes podem ser encontrados em diferentes fontes, como livros, filmes e artigos. Infelizmente, sabemos muito pouco sobre as pessoas que viveram durante esse período. Por exemplo, você já ouviu alguma coisa sobre duelos legais entre cônjuges que eram feitos para resolver disputas? Queremos preencher a lacuna em nosso conhecimento e descobrir como eram as vidas dos europeus na época.

  • O divórcio, como o entendemos hoje, também não era comum. A única maneira de terminar um casamento era provar que nunca existiu legalmente. Uma das razões poderia ter sido o fato de que uma esposa e um marido descobriram subitamente que eram parentes ou que um dos cônjuges não era cristão. Além disso, um casal poderia se separar se fosse comprovado que um dos cônjuges se casou com uma pessoa diferente.

  • Para se casar, as pessoas comuns não precisavam de nenhuma cerimônia oficial. Para se tornar cônjuge, um homem e uma mulher apenas davam consentimento verbal um ao outro. Na Inglaterra medieval, algumas futuras esposas e maridos “se casavam” em frente a uma igreja para tornar o processo mais espiritual e receber as bênçãos de Deus. Mesmo depois que o Concílio de Trento (1545-1563) decidiu que a presença de um padre era essencial, essa regra não foi observada por todos.
  • Antes de 1215, havia uma lei segundo a qual qualquer pessoa com um tataravô-tataravô-avô em comum era parente demais para se casar. Como era realmente difícil rastrear a genealogia de uma pessoa, o Quarto Conselho de Latrão decidiu simplificar a lei, que era reduzida a ter um tataravô em comum. De qualquer forma, essa regra não foi aplicada a casamentos monárquicos, que eram determinados pelos interesses do Estado. Por exemplo, a dinastia Habsburgo: os membros da família tinham diferentes doenças físicas e mentais por causa de casamentos incestuosos.

Carlos II da Espanha, o representante da dinastia Habsburgo com a mandíbula Habsburgo, um defeito físico causado por casamentos incestuosos

  • Na Alemanha, havia o costume dos chamados duelos conjugais, que deveriam resolver todas as disputas entre cônjuges. Eles vestiam roupas justas, mas a esposa tinha uma vantagem: o marido era colocado em um buraco, com um braço amarrado nas costas e três varas de madeira. A esposa dele era autorizada a se mover da maneira que quisesse e recebia um saco cheio de pedras.

Um duelo conjugal, destinado a resolver uma disputa entre os cônjuges

  • Infelizmente, a violência doméstica era muito comum. Além do mais, coisas que são estritamente proibidas hoje eram permitidas no passado. Em 1325, um Colin le Barbier, de Paris, foi acusado de assassinar sua esposa e depois foi absolvido. No tribunal, ele disse que bateu acidentalmente em sua esposa com um taco de bilhar, e ela morreu não por causa do golpe, mas porque não conseguiu cuidar adequadamente da ferida. Além do mais, ele alegou que sua esposa merecia isso porque ela o incomodava em público.
  • Ao contrário da crença popular, a caça às bruxas não era uma tradição da Idade Média, apareceu mais tarde. No famoso livro Martelo das Bruxas, que foi escrito em 1486-1487 pelo clérigo Heinrich Kramer, ele tentou provar que as bruxas existiam, enquanto a Igreja Católica o negava. A razão pela qual ele escreveu o livro foi seu rancor contra o bispo de Innsbruck, que absolveu mulheres acusadas de bruxaria pelo clérigo. Além disso, o bispo ofereceu a Kramer a chance de deixar a cidade e, mais tarde, os colegas do clérigo o condenaram por seus métodos inquisitoriais.

Execução por fogueira, final do século XV

  • Existe uma teoria que diz que as damas do passado usavam peles e tinham animais de estimação para apanhar pulgas. Esses insetos espalham doenças perigosas como a peste e irritam as pessoas com suas picadas. Por isso, estava muito na moda decorar roupas femininas com pelos, já que a intenção era atrair os insetos, e algumas mulheres até preferam “apanhadores de pulgas” vivos. De acordo com uma versão, o arminho retratado em Dama com Arminho, de Leonardo da Vinci, é um exemplo desses animais de estimação.

Dama com arminho, Leonardo da Vinci, (presumivelmente) 1489-1490

  • No final da Idade Média, na Inglaterra, havia uma lei que dizia que todas as pessoas (principalmente mulheres) que quebrassem a paz pública seriam punidas. A punição era bastante incomum: a pessoa era colocada em uma cadeira e submersa em um rio várias vezes para relaxar.
  • Apesar de as mulheres não terem oportunidade de estudar na Idade Média, houve exceções a essa regra. A escritora e poeta Cristina de Pisano, que viveu de 1365-1430, é considerada a fundadora do feminismo. Em seu livro O livro da cidade das damas, ela diz que uma mulher é igual a um homem em muitos aspectos, e os casamentos são arruinados por causa dos vícios comuns a homens e mulheres.

Uma ilustração do Livro da Cidade das Senhoras

  • A expectativa média de vida das mulheres na Idade Média era menor que a expectativa média de vida dos homens. Muitas mulheres morriam durante o trabalho de parto devido a uma fraqueza causada pela falta de comida, mas aquelas que conseguiam sobreviver ao trabalho podiam viver até os 70 anos de idade. Além disso, a falta de comida também afetava os bebês: como o leite das mães não era enriquecido com todos os nutrientes adequados, o sistema imunológico dos bebês era fraco e muitas vezes morriam logo após o nascimento.
  • As mulheres estavam muito envolvidas com a medicina: por exemplo, as mulheres se ajudavam durante o parto, uma vez que os homens não tinham permissão de olhar para os corpos nus de mulheres desconhecidas. Dizem que um manuscrito em que toda a teoria medieval da medicina se baseia foi escrito por Trota de Salerno, que viveu nos séculos 11 a 12. Além do tratamento de doenças, o manuscrito descreve maneiras de se livrar de pelos indesejados, rugas, sardas e marcas de nascença, além de dicas e conselhos para se livrar do mau hálito.

Procedimentos de cuidados com a pele medievais

Há mais alguma coisa que você gostaria de saber sobre a Idade Média?

Continuar lendo

Posts relacionados